12 Fev 2014

 

É um cliché falar do tempo. Whatever.
Frio, chuva e vento são as três palavras mágicas que estão na cabeça de todos mas que é proibido mencionar sob o risco sério de agressão passivo-agressiva. Todos sentem, ninguém fala. Assim dita a regra.
Uma das  situações mais irritantes de início de ano, são as pessoas que se inscrevem no ginásio em Janeiro com intenções obviamente pré-falhadas de ficarem em forma. Agora e que é. Ocupam o ginasio, esgotam os lugares nas aulas e comem um chocolate quando acabam para recuperar energia. Anedótico.
É por isso que ideias brilhantes como a app Pact têm sucesso.
Quem usa faz um pacto em comer saudável ou fazer determinado exercício durante um periodo de tempo. Quando o pacto é realizado por inteiro há lucro, quando o pacto é quebrado há custo. Se ao menos a vida fosse tão simples. É o treino perfeito para aprender a manter a palavra e, por acréscimo, ficar em forma!
Em tardes longas e passeios de fim-de-semana, a National Portrait Gallery promete um bocado agradável. A exposicão Bailey's Stardust reúne 250 imagens do aclamado fotógrafo David Bailey, uma verdadeira lenda. 
Os bilhetes são caros mas em última análise a conclusão é esta - paga-se o privilégio de ver o trabalho de alguém que faz parte da história. A magia é essa. Tudo é um momento único.
 
De romance, Alex Monroe é que sabe.
RPL
x

É um cliché falar do tempo. Whatever.


Frio, chuva e vento são as três palavras mágicas que estão na cabeça de todos mas que é proibido mencionar sob o risco sério de agressão passivo-agressiva. Todos sentem, ninguém fala. Assim dita a regra.


Uma das  situações mais irritantes de início de ano, são as pessoas que se inscrevem no ginásio em Janeiro com intenções obviamente pré-falhadas de ficarem em forma. Agora é que é. Ocupam o ginásio, esgotam os lugares nas aulas e comem um chocolate quando acabam para recuperar energia. Anedótico.


É por isso que ideias brilhantes como a app Pact têm sucesso.


Quem usa faz um pacto em comer saudável ou fazer exercício durante um determinado período de tempo. Quando o pacto é realizado por inteiro há lucro, quando o pacto é quebrado há custo. Se ao menos a vida fosse tão simples. É o treino perfeito para aprender a manter a palavra e, por acréscimo, ficar em forma!

Em tardes longas e passeios de fim-de-semana, a National Portrait Gallery promete um bocado agradável. A exposicão Bailey's Stardust reúne 250 imagens do aclamado fotógrafo David Bailey, uma verdadeira lenda. 


Os bilhetes são caros mas em última análise a conclusão é esta - paga-se o privilégio de ver o trabalho de alguém que faz parte da história. A magia é essa. Tudo é um momento único. 

De romance, Alex Monroe é que sabe.


RPLx


Bookmark and Share
1 Jan 2014

 

Feliz Ano Novo!
Depois de uma bela consoada, eis que chega de o tempo de novos inícios, resoluções que não passam disso e um rasgo de energia ao entrar no novo ano. Sabe sempre bem uma lufada de ar fresco, certo?
Por aqui o tempo é, não-literalmente, calmo. Tal como durante as férias escolares, anda tudo a meio gás, meio aberto - meio fechado. De certa forma, é um desacelarar forçado, o que para Londres é dizer muito.
Até à próxima semana, querem-se dias vagarosos. Galerias, brunch, caminhadas. Há muitas exposições a terminar a meio de Janeiro  e agora é uma das melhores  alturas para visitar o que ainda está para ver.  
A galeria Marlborough tem em exibição Henri Matisse: MATISSE - The Essence of Line, Selected Prints: 1900-1950, um conjunto de trabalhos com focus linear no tratamento dos objetos de estudo, explorados através de várias técnicas, entre elas, litografia, xilogravura e stencil. Um aspeto aliciante é que todos os trabalhos estão para venda. Want.
Outra exposição na mesma galeria mostra o trabalho do artista Euan Uglow, de quem tenho ouvido falar bastante ultimamente. Intitulada  Euan Uglow: Drawings, também está na lista.
Nos entretantos, enquanto que uma boa cerveja é favorecida pela maioria dos homens, não há nada como um bom copo de vinho e boa conversa num wine bar (a tradução é mesmo bar de vinho) como o Gordon's.  Uma verdadeira pérola com mais de 100 anos de existência no centro de Londres, junto ao rio e ao lado do parque, é como viajar ao século passado. E a seleção de vinhos é tentadora.
E, num último suspiro de desejo, depois de um ano de procura persistente para encontrar o pom-pom perfeito, eis que se faz luz. Joseph nunca desilude.
RPL
x

Feliz Ano Novo!

Depois de uma bela consoada, eis que chega o tempo de novos inícios, resoluções que não passam disso e um rasgo de energia ao entrar no novo ano. Sabe sempre bem uma lufada de ar fresco, certo?


Por aqui o tempo é, não-literalmente, calmo. Tal como durante as férias escolares, anda tudo a meio gás, meio aberto - meio fechado. De certa forma, é um desacelarar forçado, o que para Londres é dizer muito.


Até à próxima semana, querem-se dias vagarosos. Galerias, brunch, caminhadas. Há muitas exposições a terminar a meio de Janeiro e agora é uma das melhores  alturas para visitar o que ainda está para ver.  


A galeria Marlborough tem em exibição Henri Matisse: MATISSE - The Essence of Line, Selected Prints: 1900-1950, um conjunto de trabalhos com focus linear no tratamento dos objetos de estudo, explorados através de várias técnicas, entre elas, litografia, xilogravura e stencil. Um aspeto aliciante é que todos os trabalhos estão para venda. Want.


Outra exposição na mesma galeria mostra o trabalho do artista Euan Uglow, de quem tenho ouvido falar bastante ultimamente. Intitulada Euan Uglow: Drawings, também está na lista.


Nos entretantos, enquanto que uma boa cerveja é favorecida pela maioria dos homens, não há nada como um bom copo de vinho e boa conversa num wine bar (a tradução é mesmo bar de vinho) como o Gordon's.

Uma verdadeira pérola com mais de 100 anos de existência no centro de Londres, junto ao rio e ao lado do parque, é como viajar ao século passado. E a seleção de vinhos é tentadora.


Num último suspiro de desejo, depois de um ano de procura persistente para encontrar o pom-pom perfeito, eis que se faz luz. Joseph nunca desilude.


RPL
x


Bookmark and Share
18 Dez 2013
Embora algumas lojas já estejam em saldos para tirar partido das carteiras recheadas - cortesia da  época festiva - há sempre este ou aquele item cujo preço irritantemente não baixa ou cede descontos. Segue-se uma escolha cuidadosa, bem pensada, apropriadamente adequada aos gostos do destinatário e com uma taxa de sucesso quase certa  e perto dos  100% - afinal, quem está interessado em desilusões caras?Não que seja um incentivo ao consumismo, mas porque esta é uma daquelas alturas em que se fazem gestos complementados com objectos e, não somente com um fim em si mesmo, aqui ficam algumas sugestões de icons memoráveis.Le Pliage da Longchamp - Qualquer mulher que valorize um fim-de-semana fora de portas or viagens de trabalho frequentes, reconhece a importância de uma mala elegante, prática e de um tamanho regular - grande o suficiente para acarretar todos os "preciso disto" e pequena o suficiente para ser espremida numa cabine de avião. Le Pliage - em pele, não haja enganos - é um clássico silencioso que fala por si.http://uk.longchamp.com/pliage/leatherMaison Michel - Esta marca produz chapéus de uma classe irresistível. Uma peça destas não é um investimento de estação mas uma aposta refinada de elegância duradoura. Colaborações frequentes com as melhores marcas - Chanel, Yohji Yamamoto, Christian Lacroix, entre outros - atestam o pedigree.http://www.michel-paris.com/pret-a-porter.php?lg=enTom Ford - Uma resposta monossilábica: Sim. Sim e sim, outra vez. Este é um luxo que se sente com os cinco sentidos e sem culpa. O universo de Ford é um misto de excelência, precisão e qualidade exímia. Para usar mas não abusar para quem não quer arriscar uma overdose de prazer.http://www.selfridges.com/en/Beauty/Brand-rooms/Brands/TOM-FORD/?_$ja=tsid:32619|prd:85386&cm_mmc=AFFIL-_-AWIN-_-85386-_-0RpXOIXA500&awc=3539_1387367291_85f4c8a36cd11df020529018ece0489f&utm_source=Affiliates&utm_medium=85386&utm_term=na&utm_content=na&utm_campaign=naDiptyque - Um mundo realizável de cheiros tão fidedignos à imaginacão com o potencial de criar momentos indeléveis. Em velas ambiente ou perfume, a forma não importa. O cheiro é uma daquelas memórias que fica tão marcada que dura para sempre.http://www.liberty.co.uk/search?isSearchFilterSuffix=true&visible=true&isNatural=true&productAttributeValue=&60&productsPerPage=60&resetFilters=true&productAttributeName=&keywords=Diptyque&performSearch=true&visModel=CHANNEL&page=1&results=168Moyses Stevens - Flores absolutamente extraordinárias. As lojas são de uma beleza estonteante e não seria de todo estranho, admitir passar lá umas boas horas a disfrutar do banquete visual. Flores são um daqueles gestos que embora efémeros ficam marcados como um registo quente, de gosto e, na sua grande maioria, extremamente romântico.http://www.moysesflowers.co.uk/Cutler & Gross -  Óculos com personalidade é aqui. Para ele e para ela, até quem vai para a neve precisa de um par. É preciso dizer mais?http://www.cutlerandgross.com/E se não nos virmos antes, Feliz Natal!RPLx   
Embora algumas lojas já estejam em saldos para tirar partido das carteiras recheadas - cortesia da  época festiva - há sempre este ou aquele item cujo preço irritantemente não baixa ou cede descontos. 
Segue-se uma escolha cuidadosa, bem pensada, apropriadamente adequada aos gostos do destinatário e com uma taxa de sucesso quase certa  e perto dos 100% - afinal, quem está interessado em desilusões caras?
Não que seja um incentivo ao consumismo, mas porque esta é uma daquelas alturas em que se fazem gestos complementados com objectos e, não somente com um fim em si mesmo, aqui ficam algumas sugestões de ícones memoráveis.
Le Pliage da Longchamp - Qualquer mulher que valorize um fim-de-semana fora de portas or viagens de trabalho frequentes, reconhece a importância de uma mala elegante, prática e de um tamanho regular - grande o suficiente para acarretar todos os "preciso disto" e pequena o suficiente para ser espremida numa cabine de avião. Le Pliage - em pele, não haja enganos - é um clássico silencioso que fala por si.
Maison Michel - Esta marca produz chapéus de uma classe irresistível. Uma peça destas não é um investimento de estação mas uma aposta refinada de elegância duradoura. Colaborações frequentes com as melhores marcas - Chanel, Yohji Yamamoto, Christian Lacroix, entre outros - atestam o pedigree.
Tom Ford - Uma resposta monossilábica: Sim. Sim e sim, outra vez. Este é um luxo que se sente com os cinco sentidos e sem culpa. O universo de Ford é um misto de excelência, precisão e qualidade exímia. Para usar mas não abusar para quem não quer arriscar uma overdose de prazer.
Diptyque - Um mundo realizável de cheiros tão fidedignos à imaginacão com o potencial de criar momentos indeléveis. Em velas ambiente ou perfume, a forma não importa. O cheiro é uma daquelas memórias que fica tão marcada que dura para sempre.
Moyses Stevens - Flores absolutamente extraordinárias. As lojas são de uma beleza estonteante e não seria de todo estranho, admitir passar lá umas boas horas a disfrutar do banquete visual. Flores são um daqueles gestos que embora efémeros ficam marcados como um registo quente, de gosto e, na sua grande maioria, extremamente romântico.
Cutler & Gross - Óculos com personalidade é aqui. Para ele e para ela, até quem vai para a neve precisa de um par. É preciso dizer mais?
RPL
x   

Embora algumas lojas já estejam em saldos para tirar partido das carteiras recheadas - cortesia da  época festiva - há sempre este ou aquele item cujo preço irritantemente não baixa ou cede descontos.

Segue-se uma escolha cuidadosa, bem pensada, apropriadamente adequada aos gostos do destinatário e com uma taxa de sucesso quase certa  e perto dos  100% - afinal, quem está interessado em desilusões caras?

Não que seja um incentivo ao consumismo, mas porque esta é uma daquelas alturas em que se fazem gestos complementados com objectos e, não somente com um fim em si mesmo, aqui ficam algumas sugestões de icons memoráveis.

Le Pliage da Longchamp - Qualquer mulher que valorize um fim-de-semana fora de portas or viagens de trabalho frequentes, reconhece a importância de uma mala elegante, prática e de um tamanho regular - grande o suficiente para acarretar todos os "preciso disto" e pequena o suficiente para ser espremida numa cabine de avião. Le Pliage - em pele, não haja enganos - é um clássico silencioso que fala por si.

Maison Michel - Esta marca produz chapéus de uma classe irresistível. Uma peça destas não é um investimento de estação mas uma aposta refinada de elegância duradoura. Colaborações frequentes com as melhores marcas - Chanel, Yohji Yamamoto, Christian Lacroix, entre outros - atestam o pedigree.

Tom Ford - Uma resposta monossilábica: Sim. Sim e sim, outra vez. Este é um luxo que se sente com os cinco sentidos e sem culpa. O universo de Ford é um misto de excelência, precisão e qualidade exímia. Para usar mas não abusar para quem não quer arriscar uma overdose de prazer.

Diptyque - Um mundo realizável de cheiros tão fidedignos à imaginacão com o potencial de criar momentos indeléveis. Em velas ambiente ou perfume, a forma não importa. O cheiro é uma daquelas memórias que fica tão marcada que dura para sempre.

Moyses Stevens - Flores absolutamente extraordinárias. As lojas são de uma beleza estonteante e não seria de todo estranho, admitir passar lá umas boas horas a disfrutar do banquete visual. Flores são um daqueles gestos que embora efémeros ficam marcados como um registo quente, de gosto e, na sua grande maioria, extremamente romântico.

Cutler & Gross - Óculos com personalidade é aqui. Para ele e para ela, até quem vai para a neve precisa de um par. É preciso dizer mais?

RPL
x  


Bookmark and Share
11 Dez 2013

 

Em dias de nevoeiro, frio e correrias de época festiva há que festejar momentos devidamente os curtos momentos de pausa. 
Enfiado num cantinho central tão perto e tão longe do mar de multidões que navegam caoticamente as ruas da baixa, esconde-se um segredo muito falado e agora sabido, conhecido pelo nome de Drunch.
A ambiência chique e o menú saudável é tudo o que se pode esperar de um sítio que convida a beber devagar, falar depressa e apreciar as combinações inesperadas de sabores europeus. 
Outra gema, embora tempor ária, dá-se pelo nome Pieds Nus, uma aventura conjunta de dois grandes nomes da restauração londrina - David Moore, dono dos restaurantes Michelin Pied à Terre and L’Autre Pied e Ed Dutton, previamente no igualmente famoso Tom Aikens.
O conceito de trazer a comida às combinações mais simples com um puxar conhecedor do sabor, promete àgua na boca.
Em jeito de fim-se-semana, está uma visita à galeria Whitechapel para ver o trabalho da artista Sarah Lucas. Promete.
RPL
x

Em dias de nevoeiro, frio e correrias de época festiva há que festejar momentos devidamente os curtos momentos de pausa. 

Enfiado num cantinho central tão perto e tão longe do mar de multidões que navegam caoticamente as ruas da baixa, esconde-se um segredo muito falado e agora sabido, conhecido pelo nome de Drunch.

A ambiência chique e o menú saudável é tudo o que se pode esperar de um sítio que convida a beber devagar, falar depressa e apreciar as combinações inesperadas de sabores europeus.

Outra gema, embora temporária, dá-se pelo nome Pieds Nus, uma aventura conjunta de dois grandes nomes da restauração londrina - David Moore, dono dos restaurantes Michelin Pied à Terre and L’Autre Pied e Ed Dutton, previamente no igualmente famoso Tom Aikens.

O conceito de desconstruir as receitas à sua forma mais b
ásica com um puxar conhecedor do sabor, promete àgua na boca.


Em jeito de fim-se-semana, está uma visita à galeria Whitechapel para ver o trabalho da artista Sarah Lucas. Promete.


RPL
x


Bookmark and Share
27 Nov 2013

 

Há certas alturas em que Londres se sente como um parque de diversões gigante e a época invernil pré-natalícia traz consigo um encanto inegável. 
À falta de Sol, acendem-se as luzes decorativas que provocam uma disposição alegre pelos cantos da cidade. É altura perfeita para um passeio nos ringues de gelo à beira de locais históricos, visitas às feiras e carrosséis de Inverno, passeios gelados no parques autonais e qualquer bebida quente que se apanhe à mão. 
Este ano, está de volta o ringue junto ao Museu de História Natural. É um dos cenários mais espectaculares para patinar. A arquitectura imponente do edifício, enfatizada pelas luzes coloridas, dão a aparência de um cenário de filme. Estonteante, divertido e romântico.
Os Kew Gardens este ano também não se ficam atrás com o passeio nocturno iluminado. É como estar perdido num livro de histórias de encantar com chocolate quente no fim. Podia ser foleiro... mas não é.
Novembro é também tempo da exposição Bloomberg New Contemporaries – e o nome diz tudo. A mostra da nata das escolas de Arte inglesas acontece aqui e é um bom indicador do que está para vir.
Talento fresco graduado pelas melhores instuições artísticas – é um must.   
RPL
x

Há certas alturas em que Londres se sente como um parque de diversões gigante e a época invernil pré-natalícia traz consigo um encanto inegável. 

À falta de Sol, acendem-se as luzes decorativas que provocam uma disposição alegre pelos cantos da cidade. É altura perfeita para um passeio nos ringues de gelo à beira de locais históricos, visitas às feiras e carrosséis de Inverno, passeios gelados no parques autonais e qualquer bebida quente que se apanhe à mão. 

Este ano, está de volta o ringue junto ao Museu de História Natural. É um dos cenários mais espectaculares para patinar. A arquitectura imponente do edifício, enfatizada pelas luzes coloridas, dão a aparência de um cenário de filme. Estonteante, divertido e romântico.

Os Kew Gardens este ano também não se ficam atrás com o passeio nocturno iluminado. É como estar perdido num livro de histórias de encantar com chocolate quente no fim. Podia ser foleiro... mas não é.

Novembro é também tempo da exposição Bloomberg New Contemporaries – e o nome diz tudo. A mostra da nata das escolas de Arte inglesas acontece aqui e é um bom indicador do que está para vir.

Talento fresco graduado pelas melhores instuições artísticas – é um must.   

RPL
x

 


Bookmark and Share
19 Nov 2013

 

Está nas cartas uma visita ao Tate Britain. A partir de hoje, abrem-se as portas de uma nova era do museu depois de dois anos de renovações. E a celebração vai ser em grande. 
Este sábado, o dia está recheado de conferências por artistas, tours cronológicas da colecção, workshops com designers e um DJ set que vai prolongar a noite até às 22h. Elegante bebida em mão acompanhada de bom som enquanto rodeada de 500 anos de Arte – há melhor programa de fim-de-semana? Histórico.
Farringdon oferece uma nova pérola que promete tornar-se num local de pastagem recorrente. Paesan é um restaurante pequeno mas super agradável – tal e qual os pratos que oferece. 
A idea dos gostos servidos é replicar as misturas de uma verdadeira mamma. A verdade é que, a certo ponto, questiona-se se é verdadeiro italiano no sentido literal, mas não será mais importante a experiência do que os livros?
Ah, e quando se vai, vai-se cedo. A happy hour começa às seis e o restaurante enche de pressa. Mas, como em tudo, com a simpatia exímia do pessoal é prometido um bom bocado.
Cortesia do Inverno e respetivo ritual do põe-e-tira-luvas, ter as mãos secas não é um momento glorioso. 
Tal como um bom baton, um bom creme de mãos é tão dicífil de encontrar como uma agulha num palheiro. Ou são gordorosos demais ou demasiado líquidos, outros demoram uma eternidade a serem absorvidos enquanto outros têm um aroma não convidativo. É por isso que quando se encontra o tubo perfeito, não se larga. Love you L´Occitane.
RPL
X
 

Está nas cartas uma visita ao Tate Britain. A partir de hoje, abrem-se as portas de uma nova era do museu depois de dois anos de renovações. E a celebração vai ser em grande. 


Este sábado, o dia está recheado de conferências por artistas, tours cronológicas da colecção, workshops com designers e um DJ set que vai prolongar a noite até às 22h.
Elegante bebida em mão acompanhada de bom som enquanto rodeada de 500 anos de Arte – há melhor programa de fim-de-semana? Histórico.


Farringdon oferece uma nova pérola que promete tornar-se num local de pastagem recorrente. Paesan é um restaurante pequeno mas super agradável – tal e qual os pratos que oferece. 


A idea dos gostos servidos é replicar as misturas de uma verdadeira mamma italiana. A verdade é que, a certo ponto, questiona-se se é verdadeiro italiano no sentido literal, mas não será mais importante a experiência do que os livros?


Ah, e quando se vai, vai-se cedo. A happy hour começa às seis e o restaurante enche de pressa. Mas, como em tudo, com a simpatia exímia do pessoal é prometido um bom bocado.

Cortesia do Inverno e respetivo ritual do põe-e-tira-luvas, ter as mãos secas não é um momento glorioso. 


Tal como um bom bâton, um bom creme de mãos é tão dicífil de encontrar como uma agulha num palheiro.

Ou são gordorosos demais ou demasiado líquidos, outros demoram uma eternidade a serem absorvidos enquanto outros têm um aroma não convidativo. É por isso que quando se encontra o tubo perfeito, não se larga. Obrigada L´Occitane.


RPL


Bookmark and Share
14 Nov 2013

Quando há falta de praia e piqueniques no parque, a pesquisa de outra actividades gratificantes que requerem, basicamente, não fazer nada, é automática.

Em Londres, acontece tudo à velocidade da luz e há um sentimento constante de que não há tempo a perder. E se há, há que perdê-lo como deve ser.

Cheeky Parlour é um daqueles sítios atrevidos onde se pode ir sem marcação – em Londres, tudo tem de ser reservado com antecedência – e fazer uma manicure, arranjar o cabelo, beber um cocktail e até captar o resultado no estúdio fotográfico.

A ideia é brilhante – parte do grupo Soho House, localizado no coração da zona trendy londrina com preços tão acessíveis que não admira nada que alguns estudantes andem lá caídos.

Ainda a Este, para quem adora feiras e peças vintage a Jumble and Pearls Vintage Fayre, parte do programa do The Book Club, promete uma boa tarde de sábado. Melhor aproveitado em grupos de dois ou três.

E, na ausência das bebidas de Verão e necessidade de um pouco de Vitamina C, o encanto está feito com a limonada vitoriana da Fentimans. Azeda que baste, leve que chegue e doce o suficiente. O toque final? É côr-de-rosa. Cute!

RPL
x


Bookmark and Share
7 Nov 2013

 

Embora a vida aconteça em círculos há sempre prazeres rotineiros que não cansam . Seja um belo brunch or uma exposição de tema repetitivo, em Novembro todas as distrações de um céu escuro e pesado são bem-vindas.
Recentemente, calhou em tema de conversa mais do que uma vez, uma análise aos melhores brunch da cidade – bom serviço vs boa localização vs tamanho da dose – todos fatores de peso na escolha do local.
E, embora seja um franchising, Bill´s continua a ser uma boa aposta num sábado ou domingo de manhã. Crianças gritadeiras à parte – é uma questão de sorte e, diga-se, de educação – é um sítio acolhedor com toques rústicos, a comida saborosa quase caseira e os jornais de fim-de-semana abundam.
Das exposições de momento, salta à vista Pop Art Design no Barbican. Soa a tema de enchimento, um cliché com semi-garantias de bilheteira mas, em última análise, porque não? As cores garridas, temas populares, o valor de mercado dos artistas - todos fatores que alegram visitantes de um Novembro letárgico antes das exposições extremamente prometedoras da próxima Primavera.
Em tempo pré-natalício e época alta de consumismo – outro ciclo anual, ai clichés para que vos quero – a Liberty of London, tipicamente conhecida pela produção de marca de padrões florais, investiu numa nova coleção de acessórios bem apetitosa. 
Porque com certas marcas é assim – qualquer coisaque façam é bem feito.
RPL
x

Embora a vida aconteça em círculos há sempre prazeres rotineiros que não cansam. Seja um belo brunch or uma exposição de tema repetitivo, em Novembro todas as distrações de um céu escuro e pesado são bem-vindas.


Recentemente, calhou em tema de conversa mais do que uma vez, uma análise aos melhores brunch da cidade – bom serviço vs boa localização vs tamanho da dose – todos fatores de peso na escolha do local.


E, embora seja um franchising, Bill´s continua a ser uma boa aposta num sábado ou domingo de manhã. Crianças gritadeiras à parte – é uma questão de sorte e, diga-se, de educação – é um sítio acolhedor com toques rústicos, comida saborosa quase caseira e os jornais de fim-de-semana abundam.


Das exposições de momento, salta à vista Pop Art Design no Barbican. Soa a tema de enchimento, um cliché com semi-garantias de bilheteira mas, em última análise, porque não? As cores garridas, temas populares, o valor de mercado dos artistas - todos fatores que alegram visitantes de um Novembro letárgico antes das exposições extremamente prometedoras da próxima Primavera.


Em tempo pré-natalício e época alta de consumismo – outro ciclo anual, ai clichés para que vos quero – a Liberty of London, tipicamente conhecida pela produção de marca de padrões florais, investiu numa nova coleção de acessórios bem apetitosa. 


Porque com certas marcas é assim – qualquer coisa que façam é bem feito.


RPL
x


Bookmark and Share
30 Out 2013

 

Uma versão de um dia de Outono perfeito avizinha-se a passo acelarado em breve, muito em breve. 
Um belo café e uma correnteza de belíssimas exposições – fiquemo-nos pelos clássicos – mais do que agradam a gente. 
Daumier (1808-1879): Visions of Paris na Royal Academy of Arts é um bom ponto de partida. Sátira e crítica social num período histórico neblado – não está partircularmente fora de contexto nos dias de hoje, certo?
A dois passos de distância, a exposição Facing the Modern: The Portrait in Vienna 1900 na National Gallery exibe, entre outros,  o trabalho de Gustav Klimt, Egon Schiele and Oskar Kokoschka com focus no registo de retrato. Intensa, burguesa, reaccionária – uma atitude historicamente contextualizada e pictoricamente deliciosa.
O traço excepcional e o uso da cor de Schiele é irresistível.
Paula Rego, é outra entidade de respeito inagualável no que toca à dura gentileza do traço que conta histórias como ninguém. A galeria Leyden tem em exibição um conjunto de trabalhos inspirados no romance Jane Eyre e que fazem desta, uma visita inevitavelmente obrigatória.
  Café? Provavelmente aqui.
RPL
x

Uma versão de um dia de Outono perfeito avizinha-se a passo acelarado em breve, muito em breve. 


Um belo café e uma correnteza de belíssimas exposições – fiquemo-nos pelos clássicos – mais do que agradam a gente. 


Daumier (1808-1879): Visions of Paris na Royal Academy of Arts é um bom ponto de partida. Sátira e crítica social num período histórico neblado – não está partircularmente fora de contexto nos dias de hoje, certo?


A dois passos de distância, a exposição Facing the Modern: The Portrait in Vienna 1900 na National Gallery exibe, entre outros,  o trabalho de Gustav Klimt, Egon Schiele and Oskar Kokoschka com focus no registo de retrato. Intensa, burguesa, reaccionária – uma atitude historicamente contextualizada e pictoricamente deliciosa.


O traço excepcional e o uso da cor de Schiele é irresistível.


Paula Rego, é outra entidade de respeito inagualável no que toca à dura gentileza do traço que conta histórias como ninguém. A galeria Leyden tem em exibição um conjunto de trabalhos inspirados no romance Jane Eyre e que fazem desta, uma visita inevitavelmente obrigatória.
 

Café? Provavelmente aqui.

RPL
x

 


Bookmark and Share

 

Todos sabemos que o nome “Kate Moss” vale mais do que o dobro do seu peso em ouro. 
Qualquer projecto - como se conhece publicamente – a que o nome esteja associado tem sucesso garantido. Mais do que um caso de fama de supermodelo, Moss deveria ser um caso de estudo socio-económico analisado ao mais ínfimo pormenor. Não há-de faltar muito para que a “marca” se torne uma empresa pública na bolsa e as ações disparem em flecha no mercado internacional – ainda ninguém pensou nisto?  Just kidding.
O poder da persona criteriosamente mantida ao longo das últimas décadas, expandiu exponencialmente depois de ter sido anunciado pela Vogue inglesa que Moss faz agora oficialmente parte do cabeçalho como editora de moda. 
O que me leva de volta à razão original desta menção – a galeria Gimpel Fils tem agora em exibição   May the Circle Remain Unbroken, uma seleção do trabalho fotográfico de Corinne Day. As imagens figuram alguns dos amigos de Day – incluíndo Moss – mas provavelmente não despertaria atenção se a exposição fosse publicitada com os nomes Kevin, Vinca ou George, certo?
A fazer as rondas das taras mais recentes nesta cidade emocionante, está um verniz de uma das marcas mais baratas do mercado – Barry M.
 Texturas, efeitos croc, rachas, padrões tudo num verniz de qualidade aceitável. É experimentar para crer e sem arrependimentos – como é que é possível não ficar entusiasmada com isto?
Humor anglo-saxónico à parte, quem foi  à Frieze e aproveitou umas boas horas para absorver e discernir os discursos contemporâneos (comerciais), balançou potencialmente entre um bom bocado e uns quantos bocejos, dependendo do trabalho que estava à frente e em doses diferentes.
Os pensamentos que geram e as questões que levantam do que é absorvido, lembram-me um pescoço torcido durante quase cinco minutos para apreciar o trabalho de Sean Landers. Interessante.
RPL
x

Todos sabemos que o nome “Kate Moss” vale mais do que o dobro do seu peso em ouro. 


Qualquer projecto - como se conhece publicamente – a que o nome esteja associado tem sucesso garantido. Mais do que um caso de fama de supermodelo, Moss deveria ser um caso de estudo sócio-económico analisado ao mais ínfimo pormenor. Não há-de faltar muito para que a “marca” se torne uma empresa pública na bolsa e as ações disparem em flecha no mercado internacional – ainda ninguém pensou nisto?  Just kidding.


O poder da persona criteriosamente mantida ao longo das últimas décadas, expandiu exponencialmente depois de ter sido anunciado pela Vogue inglesa que Moss faz agora oficialmente parte do cabeçalho como editora de moda. 


O que me leva de volta à razão original desta menção – a galeria Gimpel Fils tem agora em exibição May the Circle Remain Unbroken, uma seleção do trabalho fotográfico de Corinne Day. As imagens figuram alguns dos amigos de Day – incluíndo Moss – mas provavelmente não despertaria atenção se a exposição fosse publicitada com os nomes Kevin, Vinca ou George, certo?


A fazer as rondas das taras mais recentes nesta cidade emocionante, está um verniz de uma das marcas mais baratas do mercado – Barry M.

 Texturas, efeitos croc, rachas, padrões tudo num verniz de qualidade aceitável. É experimentar para crer e sem arrependimentos – como é que é possível não ficar entusiasmada com isto?


Humor anglo-saxónico à parte, quem foi  à Frieze e aproveitou umas boas horas para absorver e discernir os discursos contemporâneos (comerciais), balançou potencialmente entre um bom bocado e uns quantos bocejos, dependendo do trabalho que estava à frente e em doses diferentes.


Os pensamentos que geram e as questões que levantam do que é absorvido, lembram-me um pescoço torcido durante quase cinco minutos para apreciar o trabalho de Sean Landers. Interessante.


RPL
x


Bookmark and Share
16 Out 2013

 

Esta semana e para o mundo da Arte o que a Fashion week e para a moda - um ano depois a analogia repete-se.
Uma das datas mais esperadas do ano acontece ja amanha - dito para o publico em geral ja que as datas VIPs celebram-se em avanco e separado. 
A Frieze Art Fair reune no belissimo Regents Park, o melhor da Arte Contemporanea com uma lista de galerias nacionais e internacionais, selecionadas por um painel rigoroso, snob e - dizem alguns - com standards elevados.
Para gostos mais tradicionais, a segunda edicao da Frieze Masters, reune trabalhos produzidos pre- ano 2000 de classicos seculares a obras mais recentes. Pura licao de historia de arte no seu melhor.
A exposicao Ayse Erkmen: Intervals no Barbican, esta a despertar curiosidade. Erkmen desenvolve cenarios com temas fantasticos, ambientes interiores e abstractos - com algumas pecas a intervirem de uma forma (interessante) menos convencional nos espacos que as acolhem e, noutros contextos, como "Between you and" no Centro de Arte Contemporanea em Roterdao.
   
Descoberta interessante? Geralmente ninguem esta interessado em cordoes para os sapatos ate precisar deles. Como nao ha oferta mais aborrecida do que as cores tradicionais - preto, castanho horroroso, branco e neon - aqui fica a sugestao do Benjos.
 
Cheira a Sartorialist.
RPL
x

Esta semana é para o mundo da Arte o que a Fashion week é para a moda - um ano depois a analogia repete-se.


Uma das datas mais esperadas do ano acontece já amanhã - dito para o público em geral já que as datas VIPs celebram-se em avanço e separado. 


A Frieze Art Fair reúne no belíssimo Regents Park, o melhor da Arte Contemporânea com uma lista de galerias nacionais e internacionais, selecionadas por um painel rigoroso, snob e - dizem alguns suspiros - com standards elevados.


Para gostos mais tradicionais, a segunda edição da Frieze Masters, expõe trabalhos produzidos pré- ano 2000 de clássicos seculares a obras mais recentes. Pura lição de história de arte no seu melhor.


A exposição Ayse Erkmen: Intervals no Barbican, está a despertar curiosidade. Erkmen desenvolve cenários com temas fantásticos, ambientes interiores e abstratos - com algumas peças a intervirem de uma forma menos convencional e temporária nos espaços que as acolhem e, noutros contextos como "Between you and", no Centro de Arte Contemporânea em Roterdão em 2010.   

 

Descoberta interessante?

Geralmente ninguém está interessado em cordões para os sapatos até precisar deles. Como não há oferta mais aborrecida do que as cores tradicionais - preto, um castanho horroroso, branco e neon - aqui fica a sugestão do Benjos.

Cheira a Sartorialist.

RPL
x


Bookmark and Share
9 Out 2013

 

Dizem que a beleza não tem preço mas quando se chega à economia mais prática que teórica, prova-se, e bem, que nem sempre é o caso. Dito isto, a beleza não tem - de facto – preço, get it?
O serviço que fez de um par de amigas belíssimas jovens milionárias, está a ganhar fãs a uma velocidade estoteante. 
A ideia é simples – como todas as ideias milionárias são – todos os meses e por um preço fixo “não barato o suficiente, não caro o suficiente”, é enviada uma caixa com amostras de productos de marcas selectas, por correio. O objetivo principal é dar oportunidade de experimentar os productos sem ter de comprar o tamanho original.
A felicidade é distribuída pelos participantes em doses diferentes – os clientes pagam pouco por productos que, de outra forma, seriam caros; as marcas alcançam novos clientes sem esforço e as fundadoras celebram a margem de lucro nas contas do banco.  A Birchbox reina.
Ainda no tema de beleza, para quem é apreciador de um determinado tipo de fotografia – provocativa mas, geralmente, com algum gosto – ou sempre sonhou em possuir uma capa de revista, a GQ vai fazer um leilão do seu portfolio, com os lucros a reverterem para a instituição de caridade do príncipe Charles.
Imagens de Mario Testino, Steven Klein and Lord Snowdown, prometem fazer muitas mentes inquietas. 
RPL
x

Dizem que a beleza não tem preço mas quando se chega à economia mais prática que teórica, prova-se, e bem, que nem sempre é o caso. Dito isto, a beleza não tem - de facto – preço, get it?


O serviço que fez de um par de amigas belíssimas jovens milionárias, está a ganhar fãs a uma velocidade estonteante. 


A ideia é simples – como todas as ideias milionárias são – todos os meses e por um preço fixo “não barato o suficiente, não caro o suficiente”, é enviada uma caixa com amostras de productos de marcas selectas, por correio. O objetivo principal é dar oportunidade de experimentar os productos sem ter de comprar o tamanho original.


A felicidade é distribuída pelos participantes em doses diferentes – os clientes pagam pouco por productos que, de outra forma, seriam caros; as marcas alcançam novos clientes sem esforço e as fundadoras celebram a margem de lucro nas contas do banco. A Birchbox reina.


Ainda no tema de beleza, para quem é apreciador de um determinado tipo de fotografia – provocativa mas, geralmente, com algum gosto – ou sempre sonhou em possuir uma capa de revista, a GQ vai fazer um leilão do seu portfolio, com os lucros a reverterem para a instituição de caridade do príncipe Charles.

 

Imagens de Mario Testino, Steven Klein and Lord Snowdown, prometem fazer muitas mentes inquietas. 


RPL
x


Bookmark and Share
2 Out 2013

 

Pessoas com uma beleza física reconhecida socialmente despertam, grande parte das vezes,  um segundo olhar. Se ser atraente  fôr aliado a um estatuto social de valor, desperta a curiosidade.
Morwenna Lytton Cobbold, membro da aristocracia e ex-modelo da Burberry, expõe este mês um portfolio fotográfico onde regista a relação física e afetiva entre mães e filhos. Mas esta não é uma exploração sociológica, os objetos principais de estudo são outros modelos.
A idea em si é de longe inovadora – as campanhas publicitárias da marca francesa Comptoir des Cottonniers vêm à memória sem qualquer esforço – e é evidente que esteve em jogo os conhecimentos e contatos de Cobbold.
Models and Mothers está em exibição no restaurante The Gilbert Scott no The St Pancras Hotel. Nada mal para um começo, hein?
The Corner Room – uma versão mais nova, acessível e descontraída do aclamado Michelin Viajante – continua a receber boas críticas e em terras distantes. 
Nuno Mendes, o chef português por detrás do feito e alumnus do famoso e extinto El Bulli, é um selo de marca na zona Este da cidade onde quem quer fazer parte da vanguarda toma residência.
Situado no mesmo edifício do Viajante, The Corner Room existe num edifício de uma antiga Câmara 
Municipal, o que com os seus tectos altos e pedaço de história, dão um toque um toque especial e outro sabor.
 Para ir, degustar e voltar.
RPL
x

Pessoas com uma beleza física reconhecida socialmente despertam, grande parte das vezes,  um segundo olhar. Se ser atraente  fôr aliado a um estatuto social de valor, desperta a curiosidade.


Morwenna Lytton Cobbold, membro da aristocracia inglesa e ex-modelo da Burberry, expõe este mês um portfolio fotográfico onde regista a relação física e afetiva entre mães e filhos. Mas esta não é uma exploração sociológica qualquer, os objetos principais de estudo são modelos.


A idea em si é de longe inovadora – as campanhas publicitárias da marca francesa Comptoir des Cottonniers vêm à memória sem qualquer esforço – e é evidente que esteve em jogo os conhecimentos e contatos de Cobbold.


Models and Mothers está em exibição no restaurante The Gilbert Scott no The St Pancras Hotel. Nada mal para um começo, hein?


The Corner Room – uma versão mais nova, acessível e descontraída do aclamado Michelin Viajante – continua a receber boas críticas e em terras distantes. 

Nuno Mendes, o chef português por detrás do feito e alumnus do famoso e extinto El Bulli, é um selo de marca na zona Este da cidade onde quem quer fazer parte da vanguarda toma residência.

Situado no mesmo edifício do Viajante, o restaurante The Corner Room existe numa antiga Câmara Municipal, o que com os seus tectos altos e pedaço de história, dão um toque especial e outro sabor.


Para ir, degustar e voltar.


RPL
x


Bookmark and Share
19 Set 2013

 

No primeiro fim-de-semana de Outono, com o seu céu cinzento, temperaturas amenas e alguns pingos de chuva pelo meio, vale a pena sair de casa com programa na mão.
Open House - um dos eventos mais badalados para arquitetos, apreciadores da disciplina e curiosos dedicados – acontece este fim-de-semana em localizações dispersas pela cidade.
A ideia é tão simples quão exclusiva – edifícios que em circunstâncias normais estão vedados ao público, abrem as portas por um período limitado de tempo. No total são 854 edifícios e entre eles está a casa do primeiro-ministro, o Gherkin e outros edifícios premiados pela Riba.
  
Avizinham-se longas filas de espera e alguns madrugadores mas quem foi em anos anteriores, diz que vale bem a pena.
Num desvio, vale a pena prestar uma visita ao mestre de fotografia Richard Avedon – um homem que dispensa introduções – na galeria Gagosian. 
AVEDON: Women apresenta uma seleção de fotografias de moda maioritariamente dos anos 60 e 70, com o tema que tão fielmente caracteriza o trabalho de Avedon – a beleza estonteante das modelos mais exclusivas da época, a simplicidade das formas e a riqueza do conteúdo, o movimento hipnotizante capturado no momento certo. 
O dia termina perfeito na Bodega Negra – há que apreciar as ironias da tradução – um restaurante mexicano que anda a fazer mexer muita gente.
Com duas localizações no centro da cidade, não há desculpa. Troque –se o vinho por uma boa Marguerita pronto a começar-se a semana.
RPL
x

No primeiro fim-de-semana de Outono, com o seu céu cinzento, temperaturas amenas e alguns pingos de chuva pelo meio, vale a pena sair de casa com programa na mão.


Open House - um dos eventos mais badalados para arquitetos, apreciadores da disciplina e curiosos dedicados – acontece este fim-de-semana em localizações dispersas pela cidade.


A ideia é tão simples quão exclusiva – edifícios que em circunstâncias normais estão vedados ao público, abrem as portas por um período limitado de tempo. No total são 854 edifícios e entre eles está a casa do primeiro-ministro, o Gherkin e outros edifícios premiados pela Riba.  

Avizinham-se longas filas de espera e alguns madrugadores mas quem foi em anos anteriores, diz que vale bem a pena.


Num desvio, é obrigatória uma visita ao mestre de fotografia Richard Avedon – um homem que dispensa introduções – na galeria Gagosian. 


AVEDON: Women apresenta uma seleção de fotografias de moda maioritariamente dos anos 60 e 70, com o tema que tão fielmente caracteriza o trabalho de Avedon – a beleza estonteante das modelos mais exclusivas da época, a simplicidade das formas e a riqueza do conteúdo, o movimento hipnotizante capturado no momento certo. 


O dia termina perfeito na Bodega Negra – há que apreciar as ironias da tradução – um restaurante mexicano que anda a fazer mexer muita gente.


Com duas localizações no centro da cidade, não há desculpa. Troque –se o vinho por uma boa Marguerita pronto a começar-se a semana.


RPL
x


Bookmark and Share

 

Depois de um belíssimo Verão quente e prolongado, a rotina de Outono começa a ganhar terreno.
Os ciclistas de Verão - bem-aventurados aqueles que dispensam uma ida ensopada para o trabalho em dias de chuva torrencial - viram-se agora para as aulas de spinning.
Club spinning, dance spinning, beat spinning - qualquer termo segue desde que signifique pedalar ao som da música mais batida ouvida numa discoteca na noite anterior. Spinning é, nada mais na menos, que a versão saudável de uma noitada. 
E quem reclama que não e o caso, é porque ainda não experimentou. Puro e simples.
Mas o tempo de dizer adeus completo a estacão mais adorada do ano ainda não chegou. 
Enquanto houver mexilhões frescos e ostras regadas a um bom vinho branco, há Verão. Mussel Men é um restaurante pop-up em Hackney que oferece um ambiente delicioso e ambivalente - um toque italiano ali, uma brisa de riviera francesa acolá. Ai felicidade.
Este fim-de-semana, marca o início de muitos e bons eventos.
Para quem aprecia o design que a Penguin, uma das casas editoriais de livros mais respeitadas no Reino Unido, a conferência de David Pearson no ICA é obrigatoria. Humilde, quasi-designer legendário partilha palavras de sabedoria e experiência como ninguém. 
Sexta-feira, marca também o inicio da London Fashion Week.
Let the fun begin.
RPL
x

Depois de um belíssimo Verão quente e prolongado, a rotina de Outono começa a ganhar terreno.


Os ciclistas de Verão - bem-aventurados aqueles que dispensam uma ida ensopada para o trabalho em dias de chuva torrencial - viram-se agora para as aulas de spinning.


Club spinning, dance spinning, beat spinning - qualquer termo segue desde que signifique pedalar ao som da música mais batida ouvida numa discoteca na noite anterior. Spinning é, nada mais na menos, que a versão saudável de uma noitada. 


E quem reclama que não é o caso, é porque ainda não experimentou. Puro e simples.


Mas o tempo de dizer adeus completo a estacão mais adorada do ano ainda não chegou. 


Enquanto houver mexilhões frescos e ostras regadas a um bom vinho branco, há Verão. Mussel Men é um restaurante pop-up em Hackney que oferece um ambiente delicioso e ambivalente - um toque italiano ali, uma brisa de riviera francesa acolá. Ai felicidade.


Este fim-de-semana, marca o início de muitos e bons eventos.


Para quem aprecia o design que a Penguin, uma das casas editoriais de livros mais respeitadas no Reino Unido, a conferência de David Pearson no ICA é obrigatória. Humilde, quasi-designer legendário partilha palavras de sabedoria e experiência como ninguém. 


Sexta-feira, marca também o inicio da London Fashion Week.


Let the fun begin.


RPL
x


Bookmark and Share
Mais Mensagens Próxima página »