Metamorfose encarnada surtiu efeito
23 Novembro de 2011 | 01:13
Colocado por: Luís Avelãs
 



A época passada, depois de ter conquistado o título de forma convincente na temporada 2009/10, Jorge Jesus prometeu que o Benfica iria atacar a Liga dos Campeões. Como tantas vezes lhe acontece, perdeu-se no discurso, mediu mal as palavras e, no final, apesar de gostar de dizer que tem queda para as profecias, acabou envergonhado. Foi pouco cuidadoso ou, em alternativa, não fazia ideia do poderio das equipas que iria encontrar na mais importante prova de clubes do Velho Continente. Terceira hipótese: por alguma razão pensava ter uma "super-equipa".

Embora já muitos se tenham esquecido, o ano transacto, por esta altura, as águias andavam a fazer um ror de contas e, pelo meio, a "pedir" a ajuda de terceiros para atingir não os oitavos-de-final da "Champions", mas sim a entrada nos 16/avos da Liga Europa, algo que ocorreu, é verdade, mas com muita sorte à mistura.

Num grupo teoricamente acessível, na temporada anterior, o Benfica somou por derrotas as três partidas realizadas longe da Luz. Pior: os jogadores que pareciam, de entrada, oferecer tantas garantias ao técnico não lograram marcar um único golo nos 270 minutos realizados na condição de visitante. Hapoel Telavive (3-0), Lyon (2-0) e Schalke 04 (2-0), mesmo sem apresentarem um futebol de dimensão superior, vulgarizaram as águias.

Esta época, contudo, as coisas foram diferentes. E a principal alteração aconteceu com Jorge Jesus. O treinador, antes da bola começar a rolar, fez questão de cumprir as instruções do presidente Luís Filipe Vieira. Foi comedido na hora de estabelecer metas, não se colocou em bicos dos pés. Fê-lo de forma tão certinha que, recorde-se, até exagerou quando, na pré-eliminatória, foi incapaz de dizer que o Benfica era favorito diante de um conjunto (Trabzonsport) que, na altura, nem sabia quando (e se) o campeonato turco iria arrancar.

Com os pés bem assentes no chão, mas com a lição bem estudada, o Benfica fechou em Manchester os três embates enquanto forasteiro no Grupo C. Totalizou 7 pontos e, com um pouco mais de "estrelinha", até podia ter somado 9. Realizou prestações brilhantes, no que à qualidade futebolística diz respeito? Não, mas a verdade é que soube jogar com cabeça e, principalmente, com coração. O expoente máximo dessa metamorfose aconteceu em Old Trafford, não só pelo valor da equipa de Alex Ferguson, mas pelo facto da equipa ter sido obrigada a reagir à reviravolta inglesa e num momento em que tinha perdido Luisão, não só o capitão, mas o "pronto socorro" da defesa.

O Benfica não é, de maneira alguma, a equipa mais forte da Europa. Mas, como se viu em Manchester, não é por acaso que ainda não sabe o que é perder esta temporada. Quem está 21 embates seguidos sem ser derrotado a abrir uma época (algo só igualado pelo Barcelona entre os principais campeonatos europeus) tem de ter valor. E saber que os discursos "de boca cheia" não costumam ajudar nada. Sejam na Luz ou noutro qualquer local...

 
Tags: , , ,
 

Comentários

# andr333 disse em 23-11-2011 às 02h45

Concordo em absoluto, bastou JJ reduzir os níveis de "fanfarronice" que equipa melhorou muito em relação ao ano passado.

JJ é um treinador competente e sabe  o que faz, devia agora que está numa posição de destaque tentar melhorar o seu discurso, aprender inglês e espanhol.

Só teria a ganhar, pois neste momento, se sair para outro campeonato vai-lhe acontecer o mesmo que a Jaime Pacheco no Mallorca, e é pena, pois apesar de não ser o génio da táctica como se auto-intitula, é um treinador acima da média.

# José11Moreira disse em 23-11-2011 às 03h40

De facto JJ está diferente, tal como a equipa. Ambos mais comedidos e mais eficazes. Jesus tapou a boca, ainda que de vez em quando se descontrole, e a equipa mais segura.

O Benfica deixou de ser a equipa vertiginosa e espectacular, que dava goleadas a torto e a direito, e passou a ser uma equipa menos espectacular, mas mais segura e consistente. Deixou de golear, mas também deixou de perder quando não podia ganhar.

A minha duvida, na questão da alteração da forma de actuar a equipa, está na razão que levou Jesus a mudar, isto é, JJ mudou a ideia de jogo por vontade própria ou foi-lhe "imposto" pela contratação de Witsel? Este é, para mim, o jogador chave na mudança de atitude da equipa, e gostava de saber se esta mudança foi planeada ou a contratação de um jogador por valores tão altos "impôs" ao treinador essa mudança? Temo nunca ter uma resposta cabal para esta questão, mas que esta forma de jogar me vai dando mais garantias, apesar de não me encher tanto o ego, disso não tenho dúvidas.

Já agora, e em relação ao jogo em Old Trafford, como  já referi num blogue aqui ao lado, ficou-me o amargo de boca de não ver um Benfica mais tranquilo e personalizado na hora de partir para o ataque, pois penso que com esses dois predicados, poderíamos ter saído de Manchester com os 3 pontos na bagagem.

Nota ainda para Artur. Começam a faltar adjectivos para qualificar as exibições deste homem, começa a não terem preço as diversas intervenções absolutamente decisivas. Tudo em Artur transmite tranquilidade e segurança, e lanço um desafio aos mais desatentos, observem e ouçam a conferencia de imprensa que antecede o jogo em Old Trafford em que Artur é interveniente, pelo que diz, mas também pela forma como o diz. Temos um guarda-redes que vale pontos e vitórias.

# andr333 disse em 23-11-2011 às 05h19

É realmente um pena que Roberto se tenha ido embora...

# bruno de abreu disse em 23-11-2011 às 09h08

Depois do pesadelo do ano passado considero o Artur a contratação mais importante da época. E vocês não imaginam a má ideia que têm dele aqui em Itália, não se impôs no Siena , fez poucos jogos no Cesena e era o 3^ g.r. na Roma.

# Andre16 disse em 23-11-2011 às 09h50

O Benfica empatou e bem, nao ponho isso em causa, foi totalmente merecido. Mas eu pergunto, se o resultado fosse outro, se as coisas corressem mal, nao estariam hoje a crucificar jesus? chegou a jogar com 3 medios defensivos. Conseguiu segurar o empate mas se nao conseguisse? Nao se diria que teve medo do Manchester?

# Lordkaos disse em 23-11-2011 às 12h53

É engraçada a conversa de "O Benfica teve sorte de segurar o empate"...Diria antes que teve azer, de ter sofrido 2 golos em fora de jogo, não ter sido marcado o Penalty sobre o Rodrigo (E não, o Nani antes de Javi lhe tocar já se estava a atirar para o chão, nem é preciso uma repetição para constactar isso!), e o mesmo Rodrigo não ter marcado aquele golo já no final do encontro...Foi é um AZAR DO CARAÇAS!

P.S: Aquela entrada do Fábio ao joelho do Witsel merecia no minimo um cartão vermelho, mas nem isso...

# GB-Benfica disse em 23-11-2011 às 13h07

Luís Avelãs,

não comento muito no seu blog por dois motivos:

- primeiro porque não existe a interactividade (e certamente que não será por sua culpa) e fluidez imediatas e que são mais valias para os diálogos que interessam;

- segundo, porque normalmente subscrevo as suas opiniões (detalhadas e extensas) e não consigo mesmo acrescentar nada mais.

Tal como o Luís disse há uns tempos, escreve normalmente para apontar falhas, porque aquilo que está bem não tem que ser mencionado. Ora eu estou precisamente a escrever por discordar de algumas coisas.

O JJ, por muito que se continue a escrever que ele prometeu a Champions no ano passado, nunca disse isso. As suas palavras foram "sei que vou ganhar a Champions, só não sei é quando". Parecem-me coisas diferentes, na minha opinião.

O Luís diz também que o Benfica teve muita sorte ao atingir a Liga Europa. Presumo que se refira ao golo do Lyon perto do fim, mas não foi um golo legal e dentro do tempo de jogo ? Não foi um resultado normal a vitória do Lyon sobre o Hapoel ?

Se calhar teve foi azar em Israel, onde massacrou (creio que bateu o recorde de remates em jogos da Champions) e perdeu 3-0, ou na Alemanha onde ficou privado de Cardozo por 2 meses. A sorte procura-se, merece-se e o azar costuma ser desculpa dos fracos. Ou será que não houve vencedores da Champions com muita sorte à mistura (muita mais do que aquela que diz ter existido no Benfica europeu - e recorde-se o trajecto que foi feito - da época passada).

Quanto ao resto nada a apontar, e sim, este Benfica 11/12 é muito mais maduro e consistente que o da época passada e a performance na Champions é a prova cabal disso mesmo.

# Lyoncorner disse em 23-11-2011 às 15h28

Meus Caros

Mais que ter a boca aberta ou fechada, o que mudou no Benfica foram os resultados.

Não tivesse sido Artur providencial e decisivo nalguns jogos (como ontem o foi, mesmo perante uma manta de retalhos que foi o Manchester United no jogo) e não estariamos agora a falar que JJ mudou o discurso.

Quantos jogos do Campeonato foram ganhos ou empatados pelo Benfica este ano, graças a Artur?

É dos livros que um guarda-redes é meia equipa. Artur, não sendo um guarda redes excepcional (por alguma coisa na Itália e no Brasil não é ponderado), tem feito defesas decisivas e tem mantido o Benfica num plano sobreavaliado para o futebol que apresenta.

Por outro lado, o equilíbrio vem da presença do carniceiro de Liège no meio campo, que permite que jogadores como Aimar e Gaitán se preocupem apenas em atacar.

Junte-se uma pitada de sorte (ontem os dois golos foram marcados por defesas do MU, com um defesa a marcar num lance inofensivo e no outro com Ferdinan a passar a bola a Aimar, a 2 metros da linha de golo) e chegamos a uma posição que claramente o Benfica não justifica.

Será avisado olhar para as exibições e para a forma como os resultados têm sido obtidos, não apenas para o resultado, pois isso permitirá minimizar qualquer desilusão futura.

Abertos os jornais de hoje, pasma-se com a enormidade de elogios e hossanas ao Benfica e à exibição (que não vi).

Vi um MU com uma defesa remendada (onde só Evra e Ferdinand, já de bengala às costas ainda conseguem jogar), um meio campo pouco pressionante e um ataque que se permite deixar Chicharrito no banco, sem Rooney, incapaz de construír jogo, um MU mais preocupado com o jogo com o Newcastle do que em ganhar o jogo de ontem.

É pena se o Benfica, embalado pela imprensa, não olhar o sinal de outros perigos que tem diante dos olhos.

# José11Moreira disse em 23-11-2011 às 17h56

Andre16, da minha parte não. Não critico nenhuma das opções de Jesus durante o jogo, pois era o que havia a fazer, a equipa estava cansada e precisava de presença e capacidade física no miolo. A única critica que faço à equipa e a JJ foi a falta de tranquilidade na transição ofensiva, essa sim poderia ter-nos dado a vitória, e quase nos ia custando o empate...

# pedromiguelslb disse em 23-11-2011 às 18h07

andr333,já queres ver Jesus fora do Benfica? Quase q garanto q para além desta temporada,vai completar mais outra,pelo menos!

bruno,s Artur nao s impôs no Siena nem no Cesena,como foi ele parar á Roma?

André16,essas perguntas ficam sem resposta,assim como a minha q vou fazer agora: s o golo d Berbatov tivesse sido anulado,como devia,o Benfica venceria o jogo? Nao s sabe,mas era bem possivel q sim!

# Mr. T to the Ray 04 disse em 23-11-2011 às 18h28

Sem dúvida que este Benfica tem menos momentos de espetacularidade do que a equipa de 2009/2010 e 2010/2011. No entanto, prefiro este Benfica mais cínico, mais maduro, e que sabe ler melhor os momentos do jogo, e acima de tudo, com raça e querer. Duvido muito que na época anterior, a perder por 2-1 no Dragão ou ontem a perder também por 2-1 em Old Trafford que fossem capazes de ter força anímica para acreditar noutro resultado.

Ao SLB falta saber manter a posse de bola quando deve. São vários os jogos esta época em que a equipa injustificadamente sofre com o resultado do jogo...

# jorgen80 disse em 23-11-2011 às 23h19

Luis Avelãs está sempre a falar do que disse e não disse na época passada. Eu penso que ele e todos os benfiquistas já pagamos bem essa fatura.

Uma época muda tudo. Será que depois de uma enorme exibição em Old Trafford, não devem ser dados os louros a Jesus?

Como o Luis não deve saber dar um remate na bola, também o Jesus não tem nenhum curso de jornalista. Não é nenhum Mourinho nem Villas Boas quando discursa. Certo. Mas que é um grande treinador, penso que não há dúvida.

E uma palavrinha sobre o que viu dentro de campo?

# paulo figueiredo disse em 24-11-2011 às 08h45

Não concordo que tenha muito a ver com o que Jesus diz o não, mas sim com o facto de que recrutamos uns qantos jogadores de inegavel qualidade que trouxeram equilibrio a equipa, Witsel, Emerson, Bruno Cesar, Nolito e mais importante ainda, compramos um grande guarda-redes, O Artur!! nestes jogadores reside a diferenca para o Ultimo ano...Sobre o jesus, e bom ser humilde e não injectar uma desnecessaria ultra-confianca!

# julio moreira disse em 24-11-2011 às 18h17

Boa tarde.

Absolutamente de acordo com o conteudo do comentario feito.

Comedimento nas palavras e ponderação nas decisões é tudo o que se espera de um leader.

E não colhe virmos para aqui especular se teria sido assim ou assado.

É sobre a realidade das coisas que temos de nos pronunciar.

E, nesse campo, acho que o resultado foi justo.

Não esqueço os momentos de sufoco passados pelo Benfica, como também não esqueço que Rodrigo teve nos pés ocasião para desempatar.

# Velha?guia disse em 24-11-2011 às 18h30

Boa tarde e os meus cumprimentos.Concordo com a maior parte do artigo e repito: Ouvi há muitos anos a alguém do futebol que muito mais importante do que quem joga, jogadores (admito que possa haver algumas raras excepções) é a forma como se joga, equipas. Entretanto,acho que devem dar atenção ao que se tem passado pois quanto a mim só houve verdadeira equipa neste e no jogo fora com o Basileia logo, convém que a

equipa volte a comportar-se como tal no resto da época. Claro

que também concordo ter sido uma "desgraça" a vinda de um

tal Roberto...Saudações desportivas e benfiquistas.

# BrMt23 disse em 26-11-2011 às 12h43

muito bem analisado e descrito sem dúvida. Jesus aprendeu com o que fez de menos bom sonhando e prometendo demasiado alto, penso eu. Este ano a história é diferente. Mas se por um lado, este Benfica 11/12 nota diferenças no seu treinador, também nota diferenças no seu jogo dentro de campo; e aqui, Witsel, a par de JJ, assume papel preponderante. Em resumo, o belga veio alterar o futebol da equipa, a cultura táctica e melhorar o meio campo, em consistência, rigor e qualidade. Um jogador em absoluto crescimento. Cumps

# bruno de abreu disse em 28-11-2011 às 17h46

Lyoncorner,

-Witsel carniceiro.

- dois autogolos?!? e nao falar do golo off-side deles.

-MU mais preocupado com o Newcastle, porque a Champions para eles é estilo Taça da Liga.

Dois por dia, a seguir às refeiçoes.

# GB-Benfica disse em 28-11-2011 às 19h07

Lyoncorner,

a avaliação que faz do Benfica é engraçada, sabendo que é leão torna-se patética. Mais calma e tolerância, viu como no derby foram derrotados pela 6ª vez consecutiva ??

Se nada mais resultar recorra a Rennie.

Os comentários estão reservados para Utilizadores Registados.




PUBLICIDADE

Pesquisa

Sobre este Blog

Mais do que ver o que se passa à nossa volta é importante olhar “a sério”. Num planeta cada vez mais globalizado - e onde a informação circula a uma velocidade estonteante – é impossível estar atento a tudo, mas falhar o essencial é um erro grave. Este será um espaço com particular atenção ao desporto, mas onde todas as áreas serão susceptíveis de abordagem. Comentar, analisar e suscitar a discussão saudável são os propósitos desta experiência jornalística, mas igualmente de cidadania.

Autor

» Olhos de Ver
por Luís Avelãs

O gosto pelas letras, pelos jornais, começou cedo, antes de entrar na escola. A razão dessa paixão sempre foi um mistério. Aos 17 anos, depois de uma primeira tarde a experimentar ser jornalista, a decisão estava tomada. Era isto que queria. Foi há muito tempo...

 

 

Outros Blogs Record

» Blog do Magalhães
por António Magalhães

» Campo Novo
por Nuno Farinha

» Lado B
por Bernardo Ribeiro

» Quinta do Careca
por Alexandre Pais

» Mercado Aberto
por João Rui Rodrigues

» Futebol e Algo Mais
por Luís Pedro Sousa

» Semanada
por António Varela

» Honores Liga
por Miguel Amaro

» Mafarrusco
por Paulo Renato Soares

» Entrada a pés juntos
por João Seixas

» Bola na Área
por Eugénio Queirós

» Cláudia Futsal
por Cláudia Marques

» Paixão Internacional
por Hugo Neves

 
SSO LOGIN